terça-feira, 27 de março de 2012

System Center Advisor – Introdução e Considerações

Quase dois meses atrás eu habilitei uma conta do trial do System Center Advisor – SCA por simplicidade (https://www.systemcenteradvisor.com/) - para dar uma olhada na cara deste produto. Vamos a alguns comentários rápidos sobre esta ferramenta...

Configuração
Com uma conta do LiveId você consegue um acesso ao portal do SCA rapidinho, lá têm as instruções para fazer o download dos instaladores. A configuração é bem simples, você precisa instalar agentes de coleta nas máquinas que estão rodando o SQL Server e um agente de gateway, responsável por pegar o que foi coletado e encaminhar para o serviço do SCA, que roda na nuvem.

O agente é interessante, pois usualmente servidores de banco de dados normalmente não possuem portas abertas para conexão com a Internet, então os agentes de comunicam e despacham os dados através do agente, que pode ficar em outra máquina com acesso à nuvem.

Durante a instalação dos agentes é necessário que exista um componente do System Center instalado (pré-requisito), se não houver ele mesmo instala o serviço. Caso você já utilize o System Center deverá somente verificar que o serviço “System Center Management” está rodando corretamente.

Interface de gerenciamento
A interface de gerenciamento do SCA é bem intuitiva e fácil de usar, é feita em Silverlight e mostra todos os detalhes dos servidores que estão sendo gerenciados. Leva um certo tempo para os agentes enviarem os dados para a Nuvem, pois a sincronização acontece de 12 em 12 horas, então o próprio SCA já diz para você olhar o resultado no dia seguinte.

O System Center Advisor
Vamos dar uma olhada na interface, obviamente por motivos de privacidade estou apagando das imagens todo e qualquer detalhe que aponte para os clientes onde testei o SCA, substituindo por nomes falsos de servidores.

 (Figura 01 – Painel principal do SCA)

Esse é o painel inicial do SCA. De cara ele mostra quais servidores possuem alertas críticos, warning e os sem alertas. Caso um servidor tenha esteja em duas severidades, aparece duplicado nos contadores. Além disso ele mostra informação de funcionamento dos agentes em “Server Status”.


(Figura 02 – Alertas críticos)



(Figura 03 – Avisos)


Na janela de alertas é possível filtrar por severidade, status (ativo ou fechado), classe (“SQL Database”, “SQL DB Engine” e “Windows Operating System”) ou data. Todos os campos são ordenáveis e você pode ver que um problema pode aparecer diversas vezes (ex.: banco de dados com recovery model full e sem backup de log).

Quando você selecionar um alerta a descrição do problema vai aparecer e a solução é explicada. Quando existe um KB da Microsoft a referência já aparece para você ler mais a respeito. Então além de descobrirmos problemas é uma interessante fonte de estudo!
Você sabe de onde vêm essas definições do SCA? Vêm do time de suporte da Microsoft (http://blogs.msdn.com/b/psssql/)! Isso mesmo, o Bob Ward e companheiros de equipe são os responsáveis por escrever e definir quais regras o SCA vai validar, o que eu considero uma excelente escolha. Nada melhor do que quem respira problemas no dia-a-dia criar as regras para nos avisar de potenciais problemas.

Outro recuso muito legal do SCA é o gerenciamento de alertas. Vamos supor que você já sabe de um problema (ex.: collation do banco diferente da model) e não vai resolver esse problema agora. Qual o objetivo de manter um alerta lá no SCA que pode te distrair de problemas mais importantes? Então você pode pedir para ignorar o alerta e ainda definir o escopo, somente o banco de dados, este servidor ou todos os servidores, habilitando quando achar necessário.

 (Figura 04 – Gerenciando os alertas)

Quando você resolver algum problema, seja mudando uma configuração ou tomando uma ação corretiva como manter um backup de log, em até 12 horas quando o SCA receber uma nova leva de dados do agente vai reportar o problema como resolvido.


(Figura 05 – Configuração do servidor)

Também é possível visualizar uma série de configurações do Windows, SQL Server e banco de dados, bem como mudanças de configuração que aconteceram. Se você alterou a configuração “CLR Enabled”, a alteração vai aparecer no histórico de alterações do seu servidor.

(Figura 06 – Agentes)

A outra interface (figura 06) diz respeito à configuração dos agentes de coleta e gateway, indicando quais servidores o SCA está analisando. A última janela do SCA é para configuração da conta, tipo de acesso (trial ou completo) e também permitir que outros LiveIds possam acessar o SCA, seja com permissão de usuário comum ou administrador.

Considerações

Eu gostei bastante do System Center Advisor e é uma ferramenta que eu adotaria para meus clientes, e dentro da imensa quantidade de detalhes que nós DBAs temos que nos preocupar no dia-a-dia, uma ferramenta que nos aponta potenciais problemas é mais do que bem vinda. Vale ressaltar que o SCA não vai resolver todos os seus problemas, muito longe disso, mais é uma importante adição para nosso cinto de utilidades.

Claro que nem tudo são flores e, só para variar, tenho minhas críticas. Antes de escrevê-las aqui acabei por trocar alguns e-mails com o time de produto responsável pelo SCA, conversando diretamente com o Paul e Timothy.

1. Para você utilizar o System Center Advisor no seu ambiente é necessário que a empresa faça parte do programa de Software Assurance. Isso mesmo, não existe outra forma de contratação.
        a. Isso é um grande impeditivo para a adoção do SCA. Eu gostaria de poder utilizar esta nos meus clientes, mesmo comigo pagando uma mensalidade pelo serviço ou por servidora analisado.
        b. No passado tive a oportunidade de estar em Redmond conversando com o time de produto e meu “voto” foi para um modelo de pagamento diferente do adotado. Segundo eles outras maneiras estão em estudo, mas nada certo e sabe lá se e quando isso pode mudar.
        c. Não existe nada no SCA que valide a utilização deste em um ambiente sem Software Assurance, o que você está sujeito é a fiscalização da Microsoft. No meu caso não faz o menor sentido de ficar ilegal e correr esse risco em ambiente de clientes, então estou num beco sem saída.

2. Hoje o SCA conta com exatamente 104 regras de validação, número que sinceramente, achei baixo.
        a. Não existe possibilidade de você criar sua própria regra, que para o público geral é uma boa decisão. 
        b. Analisando as regras atuais eu poderia adicionar algumas regras de melhores práticas que eu levo comigo, mas como não temos essa flexibilidade, fica com as validações que fazemos na Nimbus.
        c. Esse é realmente o número de regras total e não existe diferença entre o trial e a versão full. Não sei qual a cadência de atualização de regras (3 em 3 meses? Quando alguém do suporte escrever uma regra nova?), então temos que aguardar o time de suporte lançar as próximas regras.

Espero que esse artigo sirva para você ter uma visão geral do SCA e que você tenha um ambiente dentro dos modelos de licenciamento para usar o produto. É leve, simples e agrega valor. Agora é esperar para que a Microsoft traga boas novidades.

Abraços e bom monitoramento!

[]s
Luciano Caixeta Moreira - {Luti}
luciano.moreira@srnimbus.com.br
www.twitter.com/luticm
www.srnimbus.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário